Presidente da Câmara de Itaporanga sugere renúncia do prefeito

Na ausência de seis vereadores, a maioria, não houve quórum para votação dos projetos em pauta na sessão da Câmara de Itaporanga na noite dessa quinta-feira, 5, mas no tema livre os cinco parlamentares mirins presentes subiram à tribuna e abordaram vários assuntos.
              
Preocupado com a grave falta d’água que afeta comunidades rurais e áreas urbanas em Itaporanga e sem nenhuma ação efetiva do poder público, o presidente da Câmara, Neném de Adailton, sugeriu que o prefeito renuncie ao cargo, caso sinta que não tem condições de dar uma resposta satisfatória ao problema hídrico, “porque nesta questão nosso município está abandonado”, disse.

              
Conforme Neném, não há sentido o gestor municipal alegar a falta de recursos para perfurar e implantar poços e locar carros-pipas para socorrer o povo, quando, segundo o vereador, o prefeito poderia diminuir os contratos de locação de veículos e imóveis e investir em abastecimento d’água para a população, que vive um clamor e o problema pode se agravar. “Muita gente já está sem água, mas o pior pode acontecer se o açude que abastece a cidade secar: o certo é que a gente só tem água pelos próximos 60 dias, se não chover”, lamentou o parlamentar mirim.
               
De acordo ainda com Neném, há hoje muitos locais precisando de carros-pipas e poços, e os únicos quatro perfurados até agora pelo governo estadual não estão funcionando por falta de uma bomba, o que seria de responsabilidade da Prefeitura. “Se o prefeito não tem condições de resolver o problema da falta d’água, renuncie ao cargo para que outro venha e faça”, comentou Neném.
                
Os vereadores Jailson de Zeca, Jacklino Porcino, Joaquim Salviano e Ricardo Pinto também subiram à tribuna, mas o único discurso que se alongou foi o de Ricardo, que cobrou maior diálogo entre Prefeitura e Câmara como meio de buscar solução para os graves problemas de Itaporanga. Ele criticou a falta de ações efetivas da gestão municipal com relação ao Outubro Rosa, mês em que se realiza uma campanha nacional de combate e prevenção ao câncer de mama. Conforme o vereador, nenhum exame de mamografia foi oferecido às mulheres locais. Faltou mais atenção à saúde feminina, conforme Pinto.
                
“Acredito que, com o Novembro Azul, a campanha pela saúde dos homens vai acontecer a mesma falta de ação, porque nem urologista o município tem, depois da morte do dr. Chico Brasileiro”, comentou Ricardo.

www.folhadovali.com.br
Fechar [x]