Dinaldinho destaca gastos do Governo e diz confiar na isenção do TRE da Paraíba

O deputado estadual, Dinaldinho Wanderley (PSDB), disse nesta quarta-feira (18), durante pronunciamento na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), que confia na isenção dos integrantes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB) na análise da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) que pede a casacão do governador, Ricardo Coutinho (PSB), e que deve ser analisada nesta quinta-feira (19).

“Os integrantes da Justiça Eleitoral são responsáveis em mostrar que a Paraíba não pode ser de um, nem de outro. Não se pode ter uma ou duas medidas. Confio plenamente no julgamento desses integrantes do Tribunal Regional Eleitoral. As manobras que foram feitas para se ganhar uma eleição não pode deixar o Tribunal desmoralizado. Que se dê a justiça e rigor a todos”, disse o parlamentar.

De acordo com Dinaldinho, o atual Governo foi danoso à Paraíba agindo de forma irresponsável e eleitoreiro em 2014. “Para conseguir ganhar a eleição utilizaram artifícios antiéticos e ilegais. Foi cometida a prática, em período eleitoral, de distribuição de dinheiro público mediante a renúncia de créditos por meio das MPs 125 relativo ao IPVA e taxas do Detran e a MP 226 que trata da ampliação de isenções aos donos de veículos automotores”, destacou.

Entre os gastos realizados pelo Governo do Estado, o deputado Dinaldinho destacou a liberação de recursos de R$ 32 milhões que beneficiou 36 mil eleitores. “O governador se passou como bom samaritano. Ele concedeu isenção a proprietários de veículos automotores com licenciamento atrasado e aí apenas para agricultor, sem ter que comprovar”, disse.

Conforme o parlamentar, no Refis, a isenção de multas, juros e demais acréscimos relativos ao ICMS, teve uma renúncia de até 100%, gerando aos cofres públicos um total de mais de R$ 118 milhões. Já em benefícios fiscais, o governador cedeu R$ 152,7 milhões, entregando 185 mil ingressos dentro do programa Gol do Placa.

O deputado ao apresentar os números de verbas públicas aplicadas pelo governador em período eleitoral, pediu que os integrantes da Corte eleitoral apreciem de forma isenta a Aije que pede a cassação do atual chefe do Executivo. Na ocasião chegou a citar o nome de cada um dos integrantes: José Aurélio da Cruz, João Alves da Silva, Tércio Chaves de Moura, Emiliano Zapata de Miranda Leitão, Ricardo da Costa Freitas, Sylvio Pélico Porto Filho e Breno Wanderley César Segundo.

“Aqui desde que cheguei se fala do ex-governador Cássio Cunha Lima que teve seu mandato cassado pela distribuição de cheques da FAC no montante de R$ 3,5 milhões. Mas o atual governador também liberou verbas em período eleitoral. E a Justiça tem que ser a mesma para todos”, destacou o deputado.
 



Assessoria
Fechar [x]