Companheiro de uma das mulheres mortas conta detalhes da viagem trágica e pede justiça

O jovem Tiago Pereira de Sousa era um dos seis passageiros que estava no Celta que virou na estrada entre Itaporanga e Pedra Branca na tarde do último sábado, 3. Ele sobreviveu ao acidente, mas sua companheira, não.
            
Jucicleide Medeiros, de 42 anos, foi uma das duas mulheres mortas. Ela, que trabalhava como doméstica, faleceu ao dar entrada no hospital. “A primeira parada cardíaca ela teve nos meus braços, e é muito difícil ver uma pessoa de sua convivência morrendo em seus braços”, comentou Tiago.

            
Segundo ele, o casal morava em um apartamento na Avenida Getúlio Vargas, centro de Itaporanga, e não tinha filhos, mas a mulher era mãe de três, duas delas moradoras de Pedra Branca, onde a vítima também morou por muito tempo. “A gente iria passar o final de semana na casa das filhas dela”, comentou o companheiro da vítima fatal.
            
Conforme Tiago, o condutor do carro soube que eles iriam para Pedra Branca e ofereceu para levá-los, mas, ao passar pelo abrigo de passageiros, pegou mais quatro passageiros, lotando o carro com sete pessoas. “Eu só percebi que o motorista estava bêbado quando ele fez a curva a 100 quilômetros por hora, e aí eu só senti o carro capotando”, comentou Tiago Pereira.
            
O condutor do carro, conhecido como Goiano, não tem habilitação e conduzia o carro de um amigo com pneus carecas. Ele foi preso e conduzido à delegacia de Itaporanga, onde foi liberado após prestar depoimento, mas deverá responder por homicídio culposo. “Acho que ele deve pagar pelo que ele fez, quero justiça”, desabafou Tiago. As duas mulheres foram sepultadas no domingo em Pedra Branca.

www.folhadovali.com.br
Fechar [x]