Agricultor regional termina preso por uma prática típica da cultura rural sertaneja

É típico na cultura rural do Vale o agricultor pobre andar com uma faca na cintura e uma espingarda de soquete para matar um preá ou uma ave para alimentar os filhos, mas o caçador às vezes também é caçado: na manhã dessa quarta-feira, 1º, o trabalhador rural João Leite de Moura, de 41 anos, terminou preso por policiais militares que fazia rondas pelo sítio Altino, município de Santa Inês, onde reside.


Ele foi preso por porte ilegal de uma espingarda caseira e portava também uma faca. Levado para a delegacia, foi autuado em flagrante pelo delegado Leonardo Formiga, e precisou pagar cerca de meio salário mínimo para não ser recolhido à cadeia. Um dinheiro que fará muita falta à sua família.

“Trata-se de um homem pobre e a fiança foi arbitrada de acordo com as condições financeiras dele”, comentou o delegado, ao argumentar que a lei é severa e exagerada para alguns casos, mas precisa ser cumprida. 


folhadovali.com.br
Fechar [x]