Vejam o que aconteceu com os dois primeiros pacientes da UTI do hospital de Piancó

Sem médicos especialistas nem equipamentos para exames, a Unidade de Terapia Intensiva do hospital estadual de Piancó, inaugurada no final da semana passada, está funcionando precariamente, o que é um risco para o paciente.

Informações apuradas indicam que o primeiro paciente recebido pela UTI no último domingo, 28, cerca 48 horas depois da inauguração, veio a óbito, e o segundo paciente, levado ao tratamento intensivo, precisou ser transferido imediatamente para Patos porque não existia neurologista nem equipamento para exame no hospital piancoense.


Além de toda essa carência, falta na UTI médico intensivista: a informação é que há dias em que o médico do setor de emergência do hospital é o mesmo da Unidade de Terapia Intensiva.

Dois dias antes da inauguração da UTI, uma inspeção do Conselho Regional de Medicina constatou diversas irregularidades no hospital de Piancó e poderá pedir sua interdição se os problemas não forem sanados. Para a oposição piancoense, a inauguração da UTI foi uma tentativa do prefeito e do governador de enganar o eleitor e, ao mesmo tempo, um crime porque não se pode brincar com saúde pública, conforme alguns parlamentares mirins locais. "E o pior é que agora Patos não quer mais receber paciente porque diz que existe UTI em Piancó, sem, de fato, existir", lamentou um parlamentar mirim. 


folhadovali.com.br
Fechar [x]