Hospital de Piancó pode ser interditado série de irregularidades: "Nunca tinha visto situação tão calamitosa...", disse chefe de fiscalização/CRM

O Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) realizou, nesta quarta-feira (24), uma inspeção no Hospital Regional Wenceslau Lopes, na cidade de Piancó, e encontrou diversas irregularidades. 

Apenas na sala de urgência, a equipe de fiscalização detectou mais de doze irregularidades, como falta de campo cirúrgico, fiação elétrica exposta, paredes infiltradas, equipamentos sem funcionar, dentre outros. Além disso, no dia da inspeção, exames básicos como hemograma e radiografias não estavam sendo realizados.
CRM constata papelão para armazenamento

“Já fiz, pessoalmente, mais de quatro fiscalizações neste hospital e nunca tinha visto uma situação tão calamitosa, de completo abandono. Nenhum setor essencial funciona adequadamente”, destacou o diretor de fiscalização do CRM-PB, Eurípedes Mendonça. Ele acrescentou que a inspeção foi realizada por determinação do Ministério Público Estadual – comarca de Piancó.
“Encontramos caixa de papelão servindo de coletor de objetos perfuro-cortante. Uma seringa utilizada em procedimento era descartada na caixa de papel ao invés de estar em um coletor. Além disso, não havia sabonete liquido para higienização e papel, fiação elétrica exposta, paredes infiltradas, falta de ECG, falta de campo cirúrgico, sala sem sinalização, portas dos armários fixadas com esparadrapos, ventilador mecânico sem funcionar, lixeiras sem tampa, ausência de paramentos para médicos, embalagens sem tampas e sem prazo de validade; cadeira de coleta de sangue enferrujada”, disse Eurípedes avisando que o prédio está com infiltrações mofos na estrutura.
Outro problema grave detectado pelo CRM era que o hospital estava realizando apenas exames de sumário de urina e parasitológico de fezes. “Como um hospital que atende todo o Vale do Piancó não faz um hemograma nem um ecocardiograma? A unidade estava realizando o serviço encontrado em um PSF”, questionou Mendonça. A fiscalização ao hospital foi solicitada pelo Ministério Público da cidade. “O MP já tinha notificado a direção do hospital para a correção do problema, mas o prazo já expirou e nada foi feito. Sem nenhuma providência, o MP solicitou uma vistoria do CRM na unidade. Vamos confeccionar um relatório e solicitar a interdição da unidade for falta de condições no funcionamento”, revela o chefe de fiscalização do CRM.
Eurípedes Mendonça também explicou que irá recomendar a interdição dos médicos que trabalham no hospital. “Com a nova Resolução do Conselho Federal de Medicina, as equipes de fiscalização dos conselhos regionais devem preparar o relatório e enviar à presidência do seu conselho, que irá decidir sobre a interdição ou não da unidade de saúde”, disse. O mesmo relatório é enviado ao MPE e à Secretaria de Saúde de Piancó.
“A diretoria do hospital e os gestores públicos podem resolver as irregularidades antes mesmo que o relatório seja avaliado pelo plenário do CRM-PB”, acrescentou. Segundo ele, a reunião do plenário deverá acontecer apenas no próximo mês. Como pontos positivos, a equipe de fiscalização flagrou operários concluindo reformas na sala de radiologia e realizando pintura em várias paredes. O atual diretor do hospital é Ruclenato Gomes, ex-secretário municipal de Saúde, indicado para o cargo pelo prefeito Sales Lima (DEM), após anúncio de apoio ao governador Ricardo Coutinho (PSB).
Irregularidades encontradas na sala de urgência do hospital:
- fiação elétrica exposta
- paredes infiltradas
- falta de eletrocardiograma (ECG)
- coletores de perfuro cortantes improvisados e mal localizados
- falta de campo cirúrgico
- sala sem sinalização
- portas dos armários fixadas com esparadrapos
- ventilador mecânico sem funcionar
- lixeiras sem tampa
- ausência de paramentos para médicos
- almotolias (recipiente que armazena álcool) sem tampas e sem prazo de validade
- cadeira de coleta de sangue enferrujada
FONTE: Blog Ricardo Pereira
Fechar [x]