NÃO TEM QUEM SEGURE: Treze partidos fecham com o PSDB; Cássio, Ruy e Wilson Santiago formam chapa


O PSDB fechou coligação com 13 partidos para a chapa majoritária com o senador Cássio Cunha Lima candidato a governador e o deputado federal Ruy Carneiro a vice-governador. A aliança foi oficializada na tarde deste domingo (29), durante a convenção do PSDB no Colégio Marista, em João Pessoa.

Além dos nove partidos (PMN, PRB, PTN, SD, PSD, PT do B, PPS, PSDC, PTC e PEN) que já haviam anunciado apoio a Cássio, três dos partidos mais ‘cobiçados’ pelas três principais candidaturas ao governo confirmaram a aliança com os tucanos: PTB, PSC e PR.

O presidente do PTB na Paraíba, Wilson Santiago, confirmou na tarde deste domingo (29), antes do início da convenção do PSDB, a coligação com o PSDB e sua candidatura a senador. Completam a chapa majoritária o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PEN), como primeiro suplente de Wilson Santiago, e Júlio Evangelista (PPS), na segunda suplência.


“Hoje não só ficará na história, como também nos dará impulso para fazer com que a democracia prevaleça. O grito de independência vai começar a ancorar em Cabedelo e terminar em Cachoeira dos Índios”, prometeu Wilson Santiago.

Cássio foi o último a falar aos militantes e a classe política presente. Ele destacou que não estava em seus projetos ser candidato a governador este ano, mas que entra na disputa “para reconciliar o Governo com a sociedade".

“Confesso a vocês que não estava nos meus planos disputar essa eleição, até por que, de forma generosa a Paraíba me elegeu em 2010, mas eu não poderia me omitir diante de tantas dificuldades e injustiças, de tantos compromissos não cumpridos, mas, sobretudo diante da perseguição aos mais humildes”, contou.


Ele não poupou críticas ao governador Ricardo Coutinho, o acusando de perseguições políticas e de causar discórdia entre os poderes no estado. “Vivemos um tempo em que a discórdia e o confronto são promovidos pelo próprio governador. Meu primeiro propósito como governador é reconciliar o Estado, o Governo com a sociedade. Não é mais possível que o Governo seja instrumento de confronto, de enfrentamento. Tem algo errado com o governador que se confronta com todo mundo, com os outros poderes, a exemplo do ministério Público, Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, que não respeita nenhuma categoria de servidores”, criticou.

Aliados atacam governador

A convenção do PSDB começou por volta 17h com discursos de apoio à candidatura de Cássio Cunha Lima dos presidentes dos partidos aliados. Com o ginásio do Colégio Pio X lotado de militantes e apoiadores falaram o deputado estadual Janduhy Carneiro (PTN), o deputado federal Benjamin Maranhão (SD), o deputado estadual Jutay Menezes (PRB), o ex-deputado Genival Matias (PT do B), o vice-prefeito de João Pessoa, Nonato Bandeira, o deputado estadual Ricardo Marcelo, o vice-governador Rômulo Gouveia e o ex-deputado Marcondes Gadelha (PSC).

Os dirigentes miram o discurso contra a gestão do governador Ricardo Coutinho (PSB). 
“Companheiros o campeão voltou, com a força do povo e a vontade de Deus. Voltou para enfrentar todas essas mazelas que tornou a vida dos paraibanos um inferno”, declarou Marcondes Gadelha.

O vice-governador Rômulo Gouveia também subiu no palanque e se emocionou ao falar do rompimento como governador Ricardo Coutinho e retorno ‘ao ninho tucano’. “Não acho que estou voltando, porque daqui nunca sai. Até a sexta-feira, onde estive como vice-governador, foi em defesa da Paraíba (...) A traição que sofri foi desleal e tiraram minha pré-candidatura ao Senado”, disparou.

Luciano Agra discursou a favor de Cássio “Sempre achei que as mudanças da Paraíba estavam nas mãos de Cássio. Por que? Porque Cássio é gente como a gente. (...) É uma honra de ser suplente de Wilson Santiago, dessa forma poderemos fazer as mudanças que a Paraíba merece”, disse.

Cícero Lucena não comparece
Como já era previsto, o senador Cícero Lucena (PSDB)  não participou da convenção do PSDB. O parlamentar foi um dos líderes tucanos que mais defendeu o nome de Cássio para disputar o Governado, mas se ausentou do evento por ter a sua candidatura de reeleição ao Senado negada pelo partido. Ele declarou neste domingo que não disputará as eleições de outubro.
Fechar [x]