Quatro anos da morte de ex-prefeito de Itaporanga e nenhuma homenagem à sua memória

Folha do Vali

Nos últimos quatro anos, a Câmara de Itaporanga homenageou a memória de muita gente: pessoas que passaram a dar nome a ruas da cidade. O legislativo também se preocupou em conceder título de cidadania local a outras tantas figuras, nem todas merecedoras, “mas um grande itaporanguense parece esquecido, apesar de não fazer tanto tempo de sua morte”, lamenta o seu ex-assessor Cesinha Nitão.
                
Na próxima terça-feira, 2, faz quatro anos da morte do sindicalista e ex-prefeito de Itaporanga, Antônio Porcino, mas, até agora, nenhuma homenagem institucional foi realizada em sua memória. Foi um dos itaporanguenses mais conhecidos no Brasil: fundou um dos maiores sindicatos do país e dirigiu a Prefeitura por um mandato. “Ajudou muita gente, fez muito por Itaporanga, mas hoje está esquecido, é terra ingrata esta nossa”, disse Cesinha.
                
O ex-assessor lembrou a trajetória de sucesso sindical e político de Antônio Porcino, mas, segundo ele, por trás de um homem corajoso e de posições fortes, estava uma pessoa sensível e de coração solitário, sempre disposto a ajudar os que batiam em sua porta daqui para São Paulo.

Fechar[x]