Polícia já tem suspeitos de matar e enterrar jovem em área rural de Pedra Branca

Um dos crimes mais brutais entre os 33 assassinatos ocorridos este ano na região foi a execução do jovem Erivaldo Furtado Bezerra, conhecido por Sorriso, de 29 anos, morto a tiros e, depois, enterrado em uma área deserta do sítio Jenipapeiro, município de Pedra Branca.
           
Seu corpo foi encontrado na segunda-feira, 14, e dois suspeitos estão sendo investigados pela polícia, que mantém sigilo para não atrapalhar as investigações. A motocicleta da vítima continua desaparecida e deve estar em poder dos criminosos: é uma Honda Bros 150, de cor preta, placa PGK-0673, de Afogados da Ingazeira/PE.

            
Erivaldo era solteiro e residia com os pais e um irmão em um sítio no município de Manaíra, mas tinha uma namorada em Pedra Branca mas, antes de vir à cidade pedra-branquense, onde reside uma prima sua, foi aconselhado por amigos a não viajar. “Todos os seus amigos pediram que ele não fosse pra aí, mas ele disse que tinha essa namorada e queria vê-la”, comentou um amigo da vítima.
            
Alegre e muito trabalhador, era o jovem quem mais contribuía para o sustento da casa, uma vez que seus pais sofrem de problemas nervosos e, naturalmente, ficaram ainda mais abalados depois da morte do filho. Depois de trabalhar por anos na construção da refinaria Abreu e Lima, no Pernambuco, o rapaz foi atuar na colheita do café em Minas Gerais e havia chegado recentemente de viagem.
            
“Ele era uma pessoa muito boa e alegre, nunca vez mal a ninguém, e sua morte deixou a gente muito abalada, mas queremos Justiça, esses assassiantos têm que pagar pelo que fizeram”, desabafou um colega de Erivaldo. Os dois trabalharam juntos na refinaria durante muito tempo

www.folhadovali.com.br
Fechar [x]