Em tempos de seca, Piancó gastou com festa quase duas vezes mais do que com o campo

Apesar de todos os municípios do Vale estarem sob situação de emergência por conta da estiagem, o que tem agravado a atual crise econômica em âmbito local e regional, a Prefeitura de Piancó gastou, este ano, um bom volume financeiro para realizar a tradicional festa do padroeiro Santo Antônio, ocorrida entre os dias 10 e 12 de junho em praça pública.
            
As despesas somaram R$ 208.205,00 com palco, som, iluminação, ornamentação e algumas atrações musicais, entre elas Gatinha Manhosa e Saia Rodada. Os valores não incluem as despesas efetuadas com alimentação e hospedagem, que devem elevar ainda mais os gastos totais com o evento junino.

             
Em apenas três noites de festa, a Prefeitura piancoense gastou quase o dobro do total das despesas feitas com recursos municipais na agricultura em todo o primeiro semestre passado, que foi de, apenas, R$ 105.971,70. O prolongamento da estiagem agravou a situação de penúria dos moradores rurais de Piancó e atingiu também a cidade, que há mais de um mês sofreu um colapso em seu abastecimento d’água, e a população urbana vive grandes dificuldades.
             
O levantamento da Folha foi feito com base em dados do Tribunal de Contas do Estado (TCE), fornecidos pela própria gestão municipal ao órgão de controle externo.

www.folhadovali.com.br
Fechar [x]