ALPB realiza sessão proposta por Dinaldinho para discutir problema da segurança pública

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realiza na próxima quinta-feira (6), a partir das 14 horas, sessão especial para debater os problemas da segurança pública no Estado. A propositura é do deputado estadual, Dinaldinho Wanderley (PSDB), e foi subscrita por Camila Toscano (PSDB) e Renato Gadelha (PSC). O parlamentar tucano usou a tribuna nesta terça-feira (4), para convidar os paraibanos a participarem da atividade e colaborarem com a discussão do tema.

A sessão contará com a participação de entidades das policiais civil, militar e federal, movimentos sociais, representantes dos direitos humanos, vítimas da violência e sociedade civil organizada. Também foram convidados o secretário de Segurança, Claudio Lima e representantes do Tribunal de Justiça, Ministério Público, OAB, entre outros.


“A Paraíba não aguenta mais tanta violência. Faltam policiais, faltam viaturas, falta estrutura, falta estratégia, enfim, falta vontade e coragem para elencar a segurança como uma das prioridades do Governo”, disse Dinaldinho, acrescentando que a sessão será uma oportunidade para discutir a violência e as possíveis soluções para este problema que está dizimando parte da população paraibana e tirando o direito de ir e vir dos cidadãos.

Mapa da Violência – Levantamento do Mapa da Violência 2015 apontou a Paraíba como o 5º estado em número de mortes a cada 100 mil habitantes. São 33 homicídios. Os dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura apontam 33 homicídios a cada 100 mil habitantes ocorreram no estado em 2012.

Além disso, João Pessoa figura no ranking como a terceira cidade mais violenta do país, ficando atrás apenas de Maceió e Fortaleza. A capital paraibana ficou entre as que tiveram “graves aumentos na década”, subindo 100,1% na taxa de óbitos por 100 mil habitantes por arma de fogo de 2002 para 2012.


Bancos – Este ano, a Paraíba teve 88 casos de violência contra bancos, até o último dia 3 de agosto. Os dados são do Mapa da Violência contra Bancos na Paraíba em 2015, divulgado pelo Sindicato dos Bancários. 

Assessoria
Fechar [x]