EM COREMAS: Gabinete Itinerante de Dinaldinho debate falta de saneamento e de tratamento de água


O deputado estadual, Dinaldinho Wanderley (PSDB), realiza nesta quarta-feira (15), às 16h, no município de Coremas a segunda plenária do projeto Gabinete Itinerante. 

Entre outros assuntos, o parlamentar vai ouvir a população sobre a situação das obras de saneamento e do sistema de tratamento de água do município, que estão paradas, prejudicando o abastecimento direto de 27 mil pessoas, que vêm consumindo água sem nenhum tipo de tratamento. 


“O gabinete itinerante vai até o povo ouvir suas reclamações e reivindicações para que possamos fazer sua defesa e atender os pleitos e as cobranças junto ao Governo do Estado. No caso de Coremas, a água e o saneamento são problemas graves e mais urgentes. A água que chega às torneiras fede, pois não tem tratamento. A população está sendo esquecida. Já tem projeto, obra e dinheiro para a execução”, disse o deputado Dinaldinho Wanderley.

O município também não conta com sistema de esgotamento sanitário. Os dejetos vêm sendo depositado no rio Piancó, que será um braço da transposição do rio São Francisco na Paraíba. De acordo com o parlamentar, em 2013, conforme matéria divulgada no portal do Governo do Estado, o governador autorizou o início das obras do saneamento do município de Coremas. No ato da assinatura, o Executivo anunciou que seriam investidos, somente no sistema de esgotamento, R$ 8 milhões, em recursos do Governo Federal e do Governo do Estado. 

“Coremas chegará a uma cobertura de esgotamento superior a 80%, o que significa um avanço muito grande, já que hoje não existe tratamento de esgoto no município. Foi assim que anunciou o governador. Lembrando que chegamos em 2015 e Coremas continua sem saneamento e sem tratamento de água”, destacou o deputado, revelando ainda que o secretário de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, João Azevedo, anunciava que a previsão de execução da obra era de um ano.
O deputado Dinaldinho já chegou a fazer um apelo na tribuna da Assembleia Legislativa para que as obras sejam continuadas e disse que espera sensibilidade do Governo para oferecer os serviços à população. “O que esperamos é a sensibilidade para a resolução desse problema, que coloca em risco a saúde de tantas pessoas por consumir uma água imprópria”, disse.

Ascom
Fechar [x]