Dinaldinho propõe e ALPB vai discutir demora na nomeação de concursados da Polícia Civil

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) vai discutir em sessão especial a demora na convocação dos aprovados no concurso da Polícia Civil. A propositura é do deputado Dinaldinho Wanderley (PSDB) e foi aprovada pela Casa. "Temos que discutir esse problema com a categoria e com a sociedade, que paga muito caro pela ausência da polícia na rua", destacou.

O parlamentar recebeu nesta quarta-feira (24), ao lado da deputada Camila Toscano (PSDB), uma comissão de aprovados no concurso público da Polícia e que já passaram por curso de formação. "A categoria não está satisfeita com essa nomeação a conta-gotas que o Governo quer fazer, além disso, não confia que o Executivo cumpra qualquer acordo firmado", destacou.
 
De acordo com o deputado, a violência só cresce e a Paraíba tem um déficit de policiais para combater a criminalidade. “Vivemos uma epidemia de violência com o registro de 4,8 assassinatos por dia em nosso Estado. As pessoas perderam o direito de ir e vir, pois temem assaltos, agressões, enfim, temem a violência. Não podemos nos calar diante da falta de sensibilidade de um Governo que não convoca homens e mulheres que já estão prontos para cuidar da nossa segurança”, destacou.

O processo - O concurso para a Polícia Civil foi realizado em 2008 com o total de 1.162 vagas. Em abril do ano passado, um acordo firmado entre o Governo e o Ministério Público da Paraíba (MPPB) estabeleceu que os 523 candidatos deveriam ser nomeados 30 dias após o término do curso de formação. O prazo foi encerrado no dia 5 de janeiro e não foi cumprido.

No dia 6 de fevereiro, uma decisão do juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública de João Pessoa, Antônio Carneiro de Paiva Júnior, deliberou que o Governo só poderia nomear novos servidores após a convocação dos aprovados no concurso da Polícia Civil. Entretanto, o Governo ignorou a decisão e continuou nomeando outros servidores.

Na segunda-feira (23) uma audiência pública foi realizada na 4ª Vara da Fazenda Pública, com o juiz Antônio Carneiro de Paiva Júnior, o promotor de Justiça Ricardo Alex Almeida Lins, secretários de Estado e advogados. Lá, ficou estabelecido a convocação dos aprovados por etapas, de março até o mês de outubro.
 
Assessoria
Fechar [x]