Rosilene quebra o silêncio, confirma que não é candidata na eleição da FPF e revela apoia chapa Amadeu/Nosman

Rosilene Gomes, presidente da Federação Paraibana de Futebol (Foto: Renata Vasconcellos)Foram meses sem dar uma palavra sequer para a imprensa. Desde que foi afastada da Federação Paraibana de Futebol (FPF), no dia 3 de abril, a ex-presidente Rosilene Gomes adotou o silêncio como aliado. Não queria falar sobre a decisão judicial, nem sobre o trabalho da Junta Administrativa que assumiu a entidade. Muito menos sobre futuro.
Rosilene Gomes faz campanha por Amadeu Rodrigues para a eleição de 12 de dezembro na Federação Paraibana de Futebol.
José Roberto Marin e Rosilene Gomes (Foto: Divulgação / CBF)

Tudo isso até este sábado. Em entrevista exclusiva ao GloboEsporte.com, Rosilene Gomes abriu o jogo e confirmou que não será candidata à eleição da FPF, no dia 12 de dezembro. Mas não ficará completamente afastada do pleito, uma vez que está apoiando a chapa encabeçada por Amadeu Rodrigues.


Entendo que Amadeu é o melhor para a FPF nesse momento. Ele tem bandeira branca, aquilo que sempre preguei. Também não é ligado a nenhum clube e tem história dentro da Federação, já que seu pai foi diretor de árbitros 
Rosilene Gomes, presidente afastada da FPF
- Entendo que o Amadeu é o melhor para a FPF nesse momento. Ele tem a bandeira branca, aquilo que sempre preguei. Também não é ligado a nenhum clube e tem história dentro da Federação, já que seu pai foi diretor de árbitros. Estou convicta de que é o melhor para os clubes - avisou a dirigente.
O apoio a Amadeu Rodrigues, que lançou pré candidatura ao lado de Nosman Barreiro, é uma resposta àquilo que Rosilene não quer ver na FPF - segundo ela, de uma diretoria composta por torcedores ligados a determinados clubes. Sem meias palavras, mandou um recado para outros pré-candidatos como Olavo Rodrigues (ex-presidente do Treze), João Máximo (ex-presidente do Auto Esporte) e Ariano Wanderley (ex-vice de futebol do Botafogo-PB e candidato a vice na chapa de Coriolano Coutinho.
- São pessoas ligadas a clubes e penso que para ser presidente da Federação tem que ser limpo. A Federação não pode ser administrada por torcedores. Isso seria uma barbaridade.
Rosilene Gomes justificou a decisão de não se candidatar para mais um mandado à frente da entidade para atender um pedido dos filhos. E também para dar mais atenção ao marido, Juracy Pedro Gomes, como quem está casada há mais de 50 anos.
- Essa é a hora de ficar ao lado dele, que acabou de fazer uma segunda cirurgia no coração e precisa da minha presença. Ele nem me pediu isso, mas sinto que agora é a hora de dar um pouco mais de mim para ele. Afinal, foram 25 anos dedicados ao futebol.
Medindo as palavras, mas à vontade para falar sobre o seu afastamento quase oito meses depois, Rosilene disse se tratar de um "golpe", mas revelou estar realizada com o apoio que recebeu dos clubes. Repetiu o que dissera antes, num de seus rápidos pronunciamentos.
- Não sabia que era tão amada pelos clubes. Pelo menos para isso esse golpe que fizeram comigo serviu para me mostrar.
Por fim, Rosilene revelou uma sondagem da CBF para assumir um cargo de diretoria, mais precisamente ligada ao futebol feminino.
José Maria Marin, presidente da CBF, teria convidado Rosilene Gomes para assumir uma diretoria ligada ao futebol feminino no Brasil (Foto: Divulgação / CBF)
- Sou amiga do presidente (José Maria) Marin há mais de 50 anos. Ele vem sempre à minha casa e me fez esse convite para trabalhar com o futebol feminino do Brasil. É uma coisa que eu gosto de fazer. Mas disse a ele que neste momento é difícil. A prioridade é a saúde de Juracy. Também recebi o convite do Amadeu (Rodrigues, candidato que apoia para a FPF), mas é a mesma coisa. Por enquanto, não posso assumir nada - confirmou Rosilene Gomes.

PRINCIPAIS TRECHOS DA ENTREVISTA COM ROSILENE GOMES

- Decisão de não lançar candidatura para um novo mandato
Acho que é a hora de dar mais atenção à minha família. O meu marido passou por uma segunda cirurgia no coração em menos de um ano e ele precisa da minha presença ao seu lado. O Juracy é muito teimoso (risos), não quer seguir as recomendações médicas. Ele até disse para tentar (a candidatura), mas meus filhos não deixaram. Tenho um casamento de mais de 50 anos e não vou estragar a minha família por causa do futebol. Foram 25 anos dedicados ao futebol. Nesse momento não penso em voltar, nem fazer parte de alguma diretoria.
- Apoio a Amadeu Rodrigues
Estou apoiando sim o Amadeu Rodrigues. Penso que é o melhor para a Federação. Ele é uma pessoa limpa, que levanta a bandeira branca, da paz. Ele foi o primeiro a me chamar para fazer parte da diretoria, mas disse que não podia assumir nada nesse momento. Aliás, faço campanha para ele, mas deixei claro que não saiu nem até a esquina. A quem me perguntar, digo o que penso: que ele é o melhor candidato. Essa é a minha ajuda. 
- Relação com os clubes amadores e profissionais
Já falei sobre isso antes. Se tem uma coisa esse golpe que fizeram comigo me fez ver é como sou amada pelos clubes. E eu nem sabia disso. Recebi muitas ligações, todas me apoiando. 
- Outras chapas inscritas para a eleição de 12 de dezembro
 
Tem o Olavo (Rodrigues), João Máximo, Rui Galdino, Ariano (Wanderley)... Esses são os nomes falados, né? Pois sabe o que eu acho? São pessoas ligadas a clubes e penso que para ser presidente da Federação tem que ser limpo. A Federação não pode ser administrada por torcedores. Isso seria uma barbaridade. O Olavo como pessoa é um grande amigo. O João Máximo, é um grande amigo. O Ariano... Esse eu não posso dizer que é amigo. Mas para ser presidente da Federação não dá. Não pode ser torcedor. O Amadeu é limpo, é sangue puro.

- Convite da CBF para assumir o futebol feminino
Sou amiga do presidente (José Maria) Marin há mais de 50 anos. Ele vem sempre à minha casa e me fez esse convite para trabalhar com o futebol feminino do Brasil. É uma coisa que eu gosto de fazer. Também posso trabalhar com o futebol, mas não o profissional. Das categorias de base... Mas disse a ele que neste momento é difícil. A prioridade é a saúde de Juracy. Também recebi o convite do Amadeu (Rodrigues, candidato que apoia para a FPF), mas é a mesma coisa. Por enquanto, não posso assumir nada. Outros candidatos também já falaram comigo. O Rui Galdino já me ligou. Mas disse que não podia aceitar nada agora. 

Com GloboEsporte/PB
Fechar [x]