Em Piancó, agentes penitenciários descobrem celulares, estiletes, dinheiro e artefatos explosivos em cadeia pública


Uma operação denominada de “Olhos de lince” realizada na cadeia pública de Piancó por volta das 9:00 horas da manhã de hoje(21) por agentes penitenciários, com o apoio da polícia militar descobriu em poder dos presos dezenas de estiletes, canivetes, espetos, celulares, dinheiro, agendas telefônicas, cartões de memória, facas artesanais e um suposto artefato explosivo.

Segundo informações dos agentes penitenciários mesmo diante de uma rigorosa revista realizada todos os dias, os presos conseguiram esconder os objetos nas paredes dos banheiros e pequenas escavações no chão. O diretor do presidio Rufino de Lima disse que os detentos já vinham sendo monitorados pelos agentes que receberam informações anônimas do material apreendido.

Para driblar as inspeções de rotina os detentos usaram o fundo de uma garrafa térmica de água para esconder um celular. Porém, o fato que chamou a atenção dos agentes foi eles usarem uma Bíblia para esconder dinheiro e uma lista telefônica.

O material apreendido será encaminhado para o fórum da justiça comum. A cadeia de Piancó tem capacidade para suportar até 50 detentos, atualmente são 42 presos entre albergados e pelo regime fechado.



Fonte: valenews 
Fechar [x]