Do Ministério Público à atividade política, uma carreira encerrada, com grandes realizações

Maria do Carmo Silva, Promotora de Justiça, já aposentada, está também encerrando a carreira de militante política, em dezembro que vem, com a conclusão do terceiro mandato de prefeita do município de Nova Olinda, encravado no Vale do Piancó, Alto Sertão paraibano.

Ela se diz realizada, à altura da vida, pelas realizações que pôde concretizar, ao longo de mais de dez anos, em todos os setores da Gestão municipal, e está no aguardo do que possa vir, daqui por diante, através do futuro prefeito, Diogo Richelli Rosas (PSDB), a quem ajudou na eleição de outubro último, ele, o mais jovem prefeito da Paraíba, que foi diplomado na semana passada.


Maria do Carmo Silva também é filiada ao PSDB, e demorou-se, muito, para chegar à Prefeitura de Nova Olinda, tendo concorrido ao cargo, por diversas vezes, sempre enfrentando o esquema político liderado, no município, pelo ex-prefeito João Raimundo (im memoriam), seguido da filha deste, Maria Daguia, de quem terminou aliada. Na Gestão, Ducarmo – como é mais conhecida – diz que conseguiu, praticamente, ‘revolucionar’ Nova Olinda. Segundo ela, a saúde, a educação e a infraestrutura, atualmente, apresentam outra ‘fisionomia’, com obras que se espalham por todo o município, na cidade e na zona rural.

Ela cita, como exemplos, a pavimentação do Povoado do Canto, o abastecimento de água nos Sítios Domingos, Favela e Pulga de leite; a recuperação do estádio de futebol da Andreza; a UBS (Unidade Básica de Saúde), no Sítio Saco, interligando três Equipes do PSF (Programa Saúde da Família); prosseguimento do programa de reconstrução de casas populares (parceria com a Funasa), em combate ao besouro gerador da ‘Doença de Chagas’; perfuração de poços artesianos, em várias localidades da zona rural etc.

                                  Compromissos: servidores e fornecedores

Maria do Carmo Silva – que, ao longo de todo esse período, jamais teve uma prestação de contas reprovada, uma sequer, pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) -, não esconde a satisfação, com certa ponta de vaidade, de haver mantido todos os compromissos, rigorosamente em dia, com os servidores públicos municipais, e com os fornecedores da Prefeitura, bem assim com os encargos sociais.

E, nesse caso, sem vaidade alguma, ela até se permite sugerir a imitação desses procedimentos, ao futuro prefeito do município, mesmo ressalvando que ele é detentor de estilo próprio, sem contar com o fato dele também ser emancipado...e totalmente independente, sob todos os pontos de vista. Embora isso, avisa que, quando tiver de ser chamada a opinar, sobre questões atinentes à Gestão, estará, sempre, às ordens.


Josinato Gomes
Fechar[x]