Açude de Coremas atinge volume morto e preocupa população

Iniciou nesta quinta-feira (29) a liberação da água da Barragem, Mãe D’água em Coremas para abastecimento humano a milhares de pessoas de cidades da Paraíba, e Rio Grande do Norte.
O açude, Estevam Marinho em Coremas entrou em colapso. Atingiu seu volume morte, e não há mais condição de liberação de água para os 23 municípios que compõem os Estados da PB/RN que dependem do precioso líquido para sobrevivência.

Água vai ser liberada pelo leito do Rio Aguiar, que mais na frente, se encontra com o Rio Piancó, seguindo até o Rio Piranha. No percurso, as pessoas poderão captar água potável para beber. Está proibida a irrigação na ribeirinha dos Rios. Neste procedimento, a perca é de 70%.
De acordo com José Procópio de Lucena, presidente do CBH-PPA, o quadro de crise hídrica é cada vez mais grave, e apenas uma boa gestão e economia dos recursos hídricos ainda existentes, podem garantir o abastecimento desta população até o início de 2017, se não houver recarga suficiente.
- O leito do rio Aguiar está ainda muito encharcado. Isso vai facilitar junto com a desobstrução o escoamento da água. As perdas de infiltração serão muito reduzidas. Em vários trechos da calha visitados ainda tem água acumulada, finalizou Procópio.
A CAERN, Companhia de Água e Esgoto do Rio Grande do Norte colocou um grande tubo para captar água na Barragem da Mãe D’água, jogar no leito do Rio Aguiar. Nesta quinta-feira (29) começa a liberação.
Informações de Hermano Rolim, Secretário do Comitê da Bacia da Água de Piancó, o açude de Coremas atingiu seu volume morto, nesta quinta-feira (29), conforme imagens, fechando assim, a liberação das águas pelo leito do Rio Piancó para o Rio Grande do Norte. “Agora é aguardar a quadra invernosa para recarregar o manancial. Temos também que poupar água para o consumo humano até março da barragem da Mãe D’água”, completou.
O Açude de Coremas atingiu 2% de sua capacidade que é de 1,385 milhões de metros cúbicos. Em 80 anos de construção, nunca se viu tamanha situação.
A Barragem da Mãe D’água se encontra atualmente com 10,8% de sua capacidade.

Fonte Repórter PB

Fechar [x]