Em Piancó, quase todo dia morre um idoso devido a alta temperatura

Com os termômetros nas alturas e um sol de rachar, o verão 2016 tem castigado os piacoenses, principalmente na faixa etária entre 60 e 90 anos e preocupado autoridades de saúde e toda a população que se assustou com a morte de vários idosos neste ano.

Segundo profissionais da área de saúde, as vítimas apresentavam doenças pré-existentes, como diabetes e hipertensão, e morreram vítimas de desidratação grave em função do calor e da baixa umidade.

Para entender os motivos que levam idosos a sofrerem tanto com o calor, e como evitar o problema, o geriatra da Unifesp, Clineo Almada, esclarece algumas dúvidas sobre assunto.


"Os idosos reagem de maneira diferente ao calor e à baixa umidade. Com o avanço da idade, sofrem alterações naturais nos mecanismos de controle térmico do organismo e de envio de estímulos cerebrais relacionados à sede, o que propicia quadros de desidratação", explica.   

Alterações no sistema circulatório

Na terceira-idade, o organismo humano reduz a sua capacidade de regular sua própria temperatura, por isso, as trocas de calor, que normalmente levam o sangue para todas as partes do corpo e aquecem os tecidos, ficam prejudicadas fazendo com que os idosos sintam mais frio do que os jovens.

"A percepção de calor deles fica alterada, fazendo com que eles acabem sentindo frio mesmo expostos à altas temperaturas. Para esquentar o corpo, os idosos optam por usar roupas mais pesadas e grossas que comprometem a hidratação do organismo", explica o geriatra.  

Por que faço tanto xixi se bebo pouca água?

Com o passar dos anos, nosso sistema nervoso central diminui ou deixa de enviar para o corpo, os estímulos nervosos responsáveis pela sensação de sede e pelo controle da urina. Isso faz com que os idosos bebam pouca água, mesmo no verão, e urinem com bastante frequência.

O problema é que bebendo pouca água e perdendo nutrientes e sais minerais através da urina e do suor, os idosos ficam desidratados. A consequência disso é mal-estar e cansaço: "A soma é muito desigual: pouca água e muita eliminação. O organismo não tem como compensar tal desequilíbrio, daí a desidratação e a sensação de mal-estar", diz Clineo. 

Hipertensão x desidratação

Uma das semelhanças apontadas pela Secretaria de Saúde de Santos em relação ao perfil das vítimas é a hipertensão. Comum em mais de 40% dos idosos, a doença se caracteriza pela alta da pressão arterial, causando mal-estar e perigo de problemas cardíacos, caso não seja controlada.

O problema, segundo o geriatra, não está nas alterações metabólicas que a hipertensão causa, mas nos medicamentos usados para controlá-la. "Os remédios mais eficazes para hipertensão são diuréticos e, por isso, fazem com que os idosos urinem ainda mais, perdendo muito líquido", explica Clineo.

"Quando você urina muito, em função dos medicamentos controladores da pressão arterial e enfrenta um calor de 40 º C, a tendência é que o seu organismo perca boa parte dos sais minerais necessários para manter o corpo saudável, causando um quadro de desidratação grave, daí a associação feita entre hipertensão e desidratação", continua.  

Em idosos com diabetes, a taxa de açúcar - quando não controlada -, altera a absorção de líquidos pelo organismo, fazendo com que ele, em um processo de auto compensação, tente diminuir o nível de diluição do sangue para fornecer a água necessária à manutenção de suas funções vitais.

Pacientes diabéticos, quando expostos à altas temperaturas, tendem a perder uma quantidade de água ainda maior do que a causada pela doença e isso faz com que os riscos de desidratação sejam bastante perigosos.

"Além da exposição ao calor, ele perde ainda mais água, não sente sede e, por isso, não faz a reposição de líquidos. O resultado não poderia ser outro a não ser a desidratação", explica o geriatra da Unifesp. 

Como amenizar os efeitos do calor nos idosos

Cuidados simples que podem evitar o problema. Preste atenção nas dicas dos especialistas para os idosos:

-Evite usar roupas pesadas no verão, isso dificulta ainda mais a troca de calor do corpo.

-Tome muito líquido, mesmo sem sentir sede.

-Faça o controle médico de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, mas fique atento às mudanças que devem ser feitas no tratamento durante o verão:

"Os idosos que sofrem de tais doenças devem procurar seus médicos nesta época do ano para remanejar o tratamento. Não dá para ingerir as mesmas doses de diuréticos e insulina que usam durante o resto do ano. No calor, os cuidados com os mais velhos deve ser redobrado", alerta o geriatra.  (Com o Site Minha Vida Vida)


www.oblogdepianco.com.br
Fechar [x]