Febre chikungunya pode ter vitimado fatalmente marceneiro de Conceição

Morreu, no final da tarde desta quarta-feira (6), aos 76 anos de idade, Braz Xavier de Sousa, um dos mais antigos marceneiros da cidade de Conceição. Ele, que estava acometido da febre chikungunya, foi levado para o hospital por uma ambulância do Samu, onde teve duas paradas cardíacas, não resistiu à segunda e veio a óbito.
Durante 53 anos, Braz usou as suas mãos mágicas, seus pensamentos geniais para fabricar móveis para grande parte das famílias da cidade de Conceição. 

Foi com seus toques magistrais na madeira que ele criou toda a sua família. Ele exerceu a função de artesão da madeira, com arte e delicadeza até criar forma, uma profissão que teve origem nos tempos bíblicos com o pai de Jesus Cristo, José, que foi o primeiro marceneiro ou carpinteiro que a história registra. O seu legado foi plantado em alguns dos seus filhos, que com a mesma maestria do pai, aprenderam a lapidar a madeira.
Das mãos do artesão resta uma certeza em vários lares das mais diversas famílias da cidade de Conceição, uma obra, seja mesa, cadeira, petisqueiro ou aparador, que agora ‘chora de tristeza e de saudades’ do seu criador, que partiu sem ao menos se despedir dos seus criados. O marceneiro caiu ao corte de uma serra bronca, a família triste se abraçou ao tronco e ele nunca mais se levantará da terra. Mas, deixará pouco de pó de serra no sangue de cada ente querido.
Braz Xavier foi casado com Eunice Rodrigues Xavier, com quem teve 10 filhos, dos quais somente 5 continuam vivos.

O corpo está sendo velado na sua residência, localizada na rua Prefeito João Fausto, no centro da cidade de Conceição. O sepultamento acontecerá nesta quinta-feira (7), no cemitério local.
Fonte Vale do Piancó Notícias

Fechar [x]