Vereadores de Piancó aprovaram CPI para apurar supostas irregularidades em licitações

Denúncias de irregularidades nas diversas licitações realizadas pela Prefeitura de Piancó para aquisições de serviços e realização de obras motivaram os vereadores da oposição a aprovar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar as supostas irregularidades que, conforme a oposição, objetivam favorecer empresas ligadas ao prefeito como caminho inicial para o desvio de recursos.

Na sessão da noite dessa quinta-feira, 20, os seis vereadores da oposição foram os únicos que compareceram à Câmara e por unanimidade aprovaram a CPI. A reunião foi comandada pelo presidente dr. Rato, que também é oposicionista, mas seu voto não foi necessário. A propositura da comissão investigativa foi dos vereadores Guilherme Montenegro e Neném de Fandinga.


Entre as várias licitações que serão investigadas está a realizada para contratação da empresa que vai executar o convênio no valor de quase 26 milhões de reais celebrado entre a Prefeitura e a Funasa (Fundação Nacional de Saúde) para melhoria habitacional para prevenção da doença de chagas em todos os municípios que integram o Consórcio Intermunicipal de Saúde.

Conforme o vereador Guilherme, a empresa vencedora da concorrência pública foi a Senco-Serviços de Engenharia e Construções, de Campina Grande, mas, segundo ele, há indícios de irregularidades na licitação para beneficiar a construtora, que, inclusive, já recebeu dinheiro da Prefeitura antes mesmo de iniciar a obra, segundo o parlamentar mirim.

A construtora SM Construções e Indústria, que concorreu no certame com a Senco, chegou a entrar na Justiça contra a licitação, que foi suspensa liminarmente, mas a empresa vencedora conseguiu reverter judicialmente a decisão, no entanto, antes mesmo do despacho judicial ser publicado para que a SM tomasse medidas recursais, o prefeito assinou festivamente em praça pública a ordem de serviço, autorizando a Senco a iniciar a obra.

“Em termos de desmandos, corrupção e irregularidades, Piancó vive o pior momento de sua história, uma nuvem negra paira sobre nossa terra”, comentou Guilherme Montenegro, ao observar que a CPI vai passar todas as licitações a limpo e quem tiver culpa no cartório será punido. Os vereadores também querem que o prefeito seja afastado do cargo para não atrapalhar o trabalho da comissão parlamentar durante o período da investigação. Nesse sentido, já tramita na Câmara um requerimento pedindo o afastamento do prefeito por 30 dias, segundo o vereador Neguinho Marinheiro, o que deve ser votado na próxima sessão legislativa.


Fonte: www.folhadovali.com.br
Fechar [x]