Câmara pede ao TCE bloqueio das contas da Prefeitura de Diamante por irregularidades, entre elas, atraso de salários e repasse do duodécimo

Apontando diversas irregularidades na atual administração da prefeita Marcília Mangueira (PMDB), com foco principal no atraso de pagamento de salários e repasse do duodécimo do Poder Legislativo, o presidente da Câmara Municipal de Diamante, vereador Alan Deivid (PT), encaminhou ofício ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) solicitando a apuração dos fatos denunciados e o bloqueio das contas da Prefeitura local. 
No documento, o vereador expõe que o município recebeu de 1º de outubro até ontem (05/11) montante da ordem de R$ 865.863,37 mil, no entanto, a atual gestão municipal vem fazendo retiradas frequente do contra-cheque dos servidores municipais com relação aos quinquênios. 
Assim, aponta o documento, não há como justificar os atrasos no pagamento dos salários dos servidores, cuja folha chega a R$ 322.750,80 mil, já que o dinheiro está em conta.

No documento, o vereador expõe que o município recebeu de 1º de outubro até ontem (05/11) montante da ordem de R$ 865.863,37 mil, no entanto, a atual gestão municipal vem fazendo retiradas frequente do contra-cheque dos servidores municipais com relação aos quinquênios. Assim, aponta o documento, não há como justificar os atrasos no pagamento dos salários dos servidores, cuja folha chega a R$ 322.750,80 mil, já que o dinheiro está em conta.
A prefeitura tem atrasado também o repasse do duodécimo da câmara, que até o momento ainda há um débito referente ao mês de outubro passado. Foi denunciado ainda ao TCE a falta de merenda escolar na Escola Municipal Mestre Mandú,localizada na comunidade rural Barra de Oitis (Quilombola), e que os alunos dos sítios circunvizinhos não estão tendo direito a transporte escolar para a referida escola, mesmo a prefeitura fazendo pagamentos altíssimos com locação de veículos de luxo.
O presidente da câmara denunciou ainda que o Instituto Municipal de Previdência não efetuou o pagamento dos servidores inativos. E que existe três PSF's, mas somente em um deles há atendimento médico mesmo assim no período compreendido entre segunda e quarta-feira. Diante disso, pede ao TCE  apuração dos fatos e devida punição dos responsáveis. 

Fonte: Blog Ricardo Pereira
Fechar [x]