Candidatos a governador da Paraíba apresentam propostas

Os seis candidatos que disputam o Governo da Paraíba nas eleições deste ano possuem propostas para governar o Estado, bem parecidas. Todos destacam ações a serem desenvolvidas nas áreas prioritárias como educação, saúde e segurança pública. Temas como meio ambiente, desenvolvimento industrial e combate ao racismo e homofobia também ganharam atenção por parte de alguns postulantes a governador.
As propostas foram apresentadas pelos seis candidatos no último sábado durante a entrega dos pedidos de registro de candidaturas junto ao Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) e estão disponíveis à população no sistema DivulgaCan no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

O candidato pelo PSTU, Antônio Radical, apresenta 16 propostas que, segundo ele, são importantes para construção de uma Paraíba justa e desenvolvida voltada para os trabalhadores. Entre as ações se destaca o combate a sonegação de impostos.  
O candidato defende a aplicação de 10% do PIB para a Educação debatendo com entidades dos trabalhadores a alternativa para combater os altos índices de analfabetismo, evasão e repetência, além de oferecermos condições dignas para os trabalhadores em educação. Também é proposto o pagamento do Piso Salarial Nacional dos professores rumo ao salário do DIEESE. 
Como propostas para a Saúde, a aplicação de 10% do PIB para a Saúde resgatando o Hospital de Trauma de João Pessoa para o Estado, rescindindo o contrato com a Cruz Vermelha Brasileira e voltar a fazer a unidade de saúde funcionar sob a administração do Estado.
Entre os outros pontos apresentados pelo candidato ao Governo pelo PSTU, está um plano de obras públicas para resolver o problema da moradia e emprego, saneamento básico para todos, salários iguais para trabalhos iguais, com aplicação de políticas públicas para as mulheres e de combate ao machismo e descriminalização do aborto. 
Para o combate ao racismo, o partido defende uma política de compensação ao povo negro, como a ampliação do sistema de cotas nas universidades e serviços públicos. No combate à homofobia é defendido a aplicação rigorosa das penalidades para este tipo de crime, assim como educação da juventude desde a mais nova idade, com aplicação em toda a rede estadual de ensino e saúde a cartilha de combate ao preconceito contra o segmento LGBT, procurando construir uma nova geração sem preconceitos nem discriminações. 
Portal Correio
Fechar [x]