Famílias de Piancó despejadas não tiveram apoio da Prefeitura que mais movimenta dinheiro no Vale do Piancó

Ao som do choro de crianças e em meio à aflição de mães sem ter para onde ir, policiais militares retiraram dez famílias pobres de um conjunto habitacional em construção na cidade de Piancó por determinação da Justiça, que atendeu solicitação da Cehap (Companhia Estadual de Habitação Popular).

A ordem de reintegração de posse foi cumprida na manhã da última quinta-feira, 24. Sem condições de pagar aluguel, as famílias ocupavam as moradias há meses, mas foram obrigadas a deixar o local, mesmo sendo a obra construída com recursos públicos e destinada a pessoa sem teto. Depois de retirarem os poucos pertences, elas foram em busca de abrigo na casa de parentes, e algumas depositaram seus troços em calçadas na incerteza de encontrar acolhida.


Apesar do momento difícil e do drama humanitário que passam essas famílias, cuja consequência é o sofrimento terrível das crianças e o prejuízo ao seu desenvolvimento, a Prefeitura de Piancó não deu assistência a essas pessoas. O município é o que mais movimenta dinheiro na região: no ano passado, por exemplo, foram mais de 30 milhões de reais.

Embora com condições financeiras de garantir um aluguel social e apoio nutricional às famílias, a Prefeitura piancoense nada fez para, ao menos, amenizar o problema. Depois de concluído, o conjunto será entregue a outras famílias, e gente sem necessidade sempre se apropria dessas casas por favorecimento político.

 

folhadovali.com.br
Foto: Antonio Cabral
Fechar [x]